Uma grandiosa revolução particular para todos

O Instituto de Filosofia e Ciências Sociais da UFRJ foi o palco do glorioso desfile da Daspu no encerramento do curso “Uma revolução particular: o movimento brasileiro de prostitutas”. Lideradas por Madame Fanny, personagem encarnado pela puta militante Lourdes Barreto, do GEMPAC-Belém, prostitutas cis e trans e os aliados afetivos do movimento brasileiro de prostitutas deram uma aula de quebra de tabus e estigmas do alto da escadaria de entrada do IFCS na sexta-feira, 27 de novembro de 2015. A coleção PUTA CIDADE foi apresentada ao público carioca nos corpos de 20 modelos que fizeram o público presente deixar cair seus preconceitos através de uma caprichada performance do trabalho sexual em cena exuberante. A fachada do majestoso prédio do IFCS, toda iluminada com luzes vermelhas, foi o cenário do cabaré Miami Bitch comandado pela personagem Madame Fanny. Durante trinta minutos os participantes do espetáculo incendiaram o público composto de estudantes, professores, passantes, fãs da Daspu, ativistas de várias causas e moradores do Largo de São Francisco. O figurino e as performances davam mostras das roupas e tarefas executadas nas variadas modalidades do trabalho sexual e tudo isso, exibido em um espaço cênico inusitado, foi a pá de cal no preconceito. A performance antropofágica das prostitutas, conduzindo seus personagens clientes aos mais variados delírios em cena, desmistificou o sexo na prostituição e, sendo assim, o sexo nosso de cada dia! Apoteótico, o desfile Daspu no IFCS lavou a alma de todos os presentes que, felizes, vibrantes e chacoalhados em seus preconceitos, puderam, enfim, gozar da potência erótica que nos une a todos, a potência erótica que é o princípio da vida de todos nós, a potência erótica que nos acende a vontade de viver, de brincar e de lutar.

Viva a Daspu ! Viva o Movimento Brasileiro de Prostitutas ! Viva a UFRJ que deu um baita show contra todas as formas de preconceito acolhendo prostitutas de todos os cantos e de todas as cores nessa noite retumbante do encerramento do curso que, de fato e de direito, promoveu uma intensa e coletiva revolução particular em todos os que lá estiveram !

 

 

Uma revolução particular: o movimento brasileiro de prostitutas

O Observatório da Prostituição tem o prazer de convidá-lxs a participar desse momento histórico, onde a universidade e um movimento social, o movimento brasileiro de prostitutas, se encontram para olhar retrospectiva e prospectivamente para a trajetória de luta de mulheres prostitutas em nosso país.

A programação completa segue abaixo. Venham todxs discutir o papel da pesquisa, da política, do sexo, do desejo, do lúdico, da opressão, do engajamento e do reconhecimento nesse curso de extensão promovido pelo Observatório da Prostituição/LeMetro/IFCS-UFRJ (PROEXT 2015).

flyer programação - net (1)

Daspu no curso Uma Revolução Particular: o movimento brasileiro de prostitutas

O curso “Uma Revolução Particular: o movimento brasileiro de prostitutas”, já está com a sua programação completa em nossa página no facebook. Vejam, programem-se e compartilhem!

E lembrem-se que no grand finale teremos a participação da grife Daspu, em parceria com Laerte na coleção PUTA CIDADE, em um desfile retumbante nas escadarias do IFCS-UFRJ.

Venham todxs!

Daspu_PUTACIDADE

TAMPEP e a situação dxs trabalhadorxs do sexo na Europa

A Rede Européia para a Prevenção de HIV/Aids e Promoção da Saúde dos Trabalhadores Sexuais na Europa – TAMPEP, publicou este ano um documento relatando a tensão crescente provocada pelo chamado “modelo sueco” de criminalização do cliente da prostituta – e, por conseguinte, de reforço da clandestinidade da prostituição – e as ações defendidas pela Anistia Internacional, também este ano, pela descriminalização total do trabalho sexual.

O Observatório da Prostituição publica aqui esse docuento (TAMPEP paper 2015_08 PORT), recentemente traduzido para o português, para que mantenhamos aceso esse debate também aqui no Brasil e formemos uma opinião qualificada antes que o assunto comece a ser explorado com todo o sensacionalismo que tem sido conferido ao tema da prostituição.